DGArtes - Agenda Online

Header Gestão Electrónica de Concursos

Acessibilidade


imprimir

Insustentável Leveza | Espectáculo de teatro/dança com coreografia de Carlos Matos

Trata-se de um espectáculo de teatro/dança que comportará na sua génese técnicas da dança contemporânea cruzadas, e em interacção, com música ao vivo. A matriz dessa música será o Fado e o tema do espectáculo será a Saudade.

A execução musical estará a cargo de um conjunto de 4 instrumentistas portugueses: José Alegre (Guitarra Portuguesa), Virgílio Silva (Guitarra Clássica), Virgolino Zacarias (Saxofone Tenor e Soprano), Paulo Silva (Contrabaixo) ficando a interpretação e o canto a cargo de Afonso Dias. A dança será executada pelos bailarinos Fábio Liberti, Igor Kirov, Marie Schmieder, Marijana Savovska e Wencke Kriemer que colaboram com Carlos Matos na sua companhia sediada em Berlim Oficina dos Sentidos. A criação do espectáculo é de Carlos Matos e a direcção musical de Afonso Dias. O espectáculo terá a duração aproximada de 60 minutos.

Sobre o espectáculo:

A ideia básica do projecto, para além de ser um estudo sobre o sentimento português "Saudade" usando para isso e como pano de fundo músicas de Fado assenta também no princípio de ambivalência das situações emocionais, reportando-se assim para o paradoxo espelhado no título Insustentável Leveza - ou, mais ao espírito português, O peso da Alma.

Coreografia:

O Fado é sentimento(s): esta é a premissa que será tomada como ponto de partida para a coreografia; ou seja, não se trata de "narrar" seja o que for nem de contar uma história de fado (s). Pelo contrário, pretende-se criar como que uma colagem, construída a partir de muitos pequenos "momentos" coreográficos, para cada cena, inspirados nos textos dos diferentes fados/poemas e concretizá-los coreograficamente numa filosofia metafórica e não ilustrativa.
O público terá espaço para a sua própria interpretação.
Será conduzido numa viagem até à origem da palavra Saudade, e espera-se que, no fim, os bailarinos/as bailarinas, os músicos, o público e o coreógrafo se tenham aproximado um pouco mais do significado desta palavra, não com o raciocínio mas sim com os sentidos.

É extremamente importante que esta peça não seja vista como um concerto de Fado bailado, mas sim que a essência do espectáculo seja o movimento e a expressão física, muito embora todos os elementos (música, dança, voz) se fundam numa unidade homogénea. Só assim poderá criar-se uma nova forma de performance, que se distinga claramente de um concerto de fado tradicional... com dança.

Música:

A peça terá, de uma forma equilibrada, música de fado instrumental tocada ao vivo intercalada por versos de F. Pessoa, David Mourão-Ferreira (e outros...) ditos/narrados por Afonso Dias assim como Fado cantado gravado.

Biografias:

Coreógrafo

Carlos Matos, nascido em Portugal tendo inicialmente praticado dos 11 aos 17 Ginástica Olímpica decidiu-se posteriormente por uma educação de dança na escola da Fundação Gulbenkian e na escola da Companhia Nacional de Bailado.Dois anos depois teve o seu primeiro contrato como bailarino profissional na CNB em Lisboa onde permaneceu três épocas e onde teve a oportunidade de dançar os grandes clássicos. Numa tentativa de procurar novos horizontes seguem-se contratos no Euroballett Luxemburg/ Luxemburgo, no teatro Stadttheater Würzburg/ Alemanha, no Stadttheater Luzern/ Suíça, assim como nos teatros de Städtischen Bühnen Nürnberg e de Dortmund/ Alemanha. Paralelamente à sua actividade de bailarino iniciou em 1997 uma carreira como coreógrafo convidado em vários teatros e companhias de dança na Alemanha, Suíça e Áustria. Desenvolvendo durante esses anos o seu próprio vocabulário de movimento onde se notam influências do seu passado acrobático assim como de "capoeira" e também de "break-dance". Em 1998 foi premiado no prestigioso concurso de coreografia Internationalen Choreografen Wettbewerb in Hannover e em 2000 no Internationaal Choreografen Concours em Groningen na Holanda. De 2002 a 2007 foi director artístico e coreógrafo principal do teatro municipal de Hildesheim na Alemanha onde criou 11 estreias de noite inteira baseadas em trabalhos literários como: "Hamlet", "Peer Gynt", "Cassandra" ou "Livro do Desassossego"; assim como interpretações de conhecidos trabalhos musicais, tais como: "Les Noces" de Strawinsky, "Magnificat" de J.S.Bach ou "Requiem" de Mozart. A partir de Agosto 2007, volta a trabalhar exclusivamente como coreógrafo independente e funda em Berlim juntamente com Wencke Kriemer a companhia de dança "Oficina Dos Sentidos". A "Insustentável Leveza" é depois de "Romeos Julia", "Bombeiros" e "Die Versiegelte Zeit" a quarta produção desta companhia independente.

Director Musical

Afonso Dias, iniciou nos anos 60 formação teatral com Costa Ferreira, Carmem Dolores e Rogério Paulo. Foi actor e encenador, em grupos amadores, dos espectáculos: Sabina Freire de Teixeira Gomes, Breve História da Lua, de António Gedeão e Fronteira de Sono, de sua própria autoria. Foi actor nos espectáculos: Georges Dandin, de Molière, O Principezinho, de Saint Exupéry e Antígona, de Sófocles. Foi deputado na Assembleia Constituinte. Fundador em 1974 do GAC - Grupo de Acção Cultural, gravou vários LP's e Singles e participou em mais de um milhar de espectáculos pelo país e estrangeiro. Foi, ainda no GAC, responsável pela edição de 200 exercícios para o actor... de Augusto Boal. Participou em actuações com Zeca Afonso, Francisco Fanhais, Manuel Freire, José Mário Branco, entre outros. É autor dos seguintes álbuns: O que Vale a Pena, em 1979; Pela Calada, em 1987; Lendas do País do Sul e O Perfume da Palavra, em 1999; Olhar de Pássaro, em 2000, nomeado para o Prémio José Afonso em 2001; Na Asa Loira do Sol, em 2001; Geometrias do Sul, em 2002; Abecedário a Rimar, em 2003, para crianças, com poemas de Glória Maria Marreiros. É o autor dos seguintes livros: Grande Angular, em 2001, Tocatta e Fuga, em 2003. Em 1999 foi fundador da Trupe Barlaventina - Jograis do Algarve. Entre Outubro de 2001 e Maio de 2002 realizou, nas Escolas Secundárias, cerca de três centenas de sessões de sedução para a poesia a pedido da Direcção Regional de Educação do Algarve. Desse trabalho resultou a edição de 3 CD's multimédia, como auxiliares pedagógicos, de título genérico Cantando Espalharei. Desde 2004 que colabora com a ACTA, tendo participado como actor nos espectáculos Antígona, de Sófocles/Zambrano, encenação de Luís Vicente; Em Papel Perfumado, de sua própria autoria e direcção, Os Fantasmas do Homem do Talho, de Victor Haïm, encenação de Paulo Moreira; História do Soldado, de Ramuz/Strawinsky, encenação de Paulo Matos.

Bailarinos

Wencke Kriemer, nascida em Gera/Alemanha recebe a sua educação na escola superior Hochschule für Musik und Theater Felix Mendelsohn Bartholdy em Leipzig recebendo o diploma simultaneamente de bailarina e professora de dança. Seguindo posteriormente os seus estudos de dança contemporânea na Salzburg Experimental Academy na Austria. Primeiros trabalhos levam-na para Luxemburgo e Suíça. De 2000 a 2007 integrou a companhia do teatro Stadttheater Hildesheim segundo a direcção artística do coreógrafo Carlos Matos. Durante este período teve também a oportunidade de trabalhar com vários coreógrafos entre os quais Henrik Kaalund, Jean Renshaw e Benvindo Fonseca. Em 2002 trabalhou como bailarina convidada na companhia "Cie. Toula Limnaio's e em 2007 na Dinamarca com a companhia "Mancopy". Na época 2008/09 integrou a companhia de dança do teatro de St. Gallen na suíça onde trabalhou em criações de vários coreógrafos como seja Philipp Egly, Nick Hobbs e Stijn Celis. Desde 2002 que Wencke Kriemer demonstra interesse em Coreografia e desde então tem feito regularmente criações em teatros como Hildesheim e St Gallen. Em 2007 funda juntamente com o coreógrafo Carlos Matos a companhia "Oficina dos Sentidos" em Berlim.
Igor Kirov, nascido em Stip, Macedónia, estudou dança clássica na Macedonian National Ballet School e dança moderna na escola da Rotterdam Dance Academy na Holanda. Teve como primeiros contratos a companhia de Itzik Galili em Groningen/Holanda e a companhia Dance Works Rotterdam/Holanda, onde teve a oportunidade de trabalhar com coreógrafos famosos como Jacop Godani, Steven Petronio e Rui Horta. Posteriormente trabalhou 2 anos na companhia do teatro Staatstheater Oldenburg segundo a direcção de Martin Stiefermann. Seguidamente foi membro das companhias do Stadttheater St. Gallen/Suiça e do Ballett Nordhausen/Alemanha. No verão de 2005 torna-se parte integrante da companhia do teatro Stadttheater Hildesheim segundo a direcção artística do coreógrafo Carlos Matos onde permanece até 2007. De 2007 a 2008 foi membro da companhia do Staatheater Darmstadt na Alemanha onde trabalha entre outros com Mei Hong Lin e Jochen Ullrich. Desde o Verão de 2009 trabalha como artista independente em Berlim com várias companhias entre as quais "Oficina Dos Sentidos" do coreógrafo Carlos Matos.
Marijana Savovska, nascida em Skopia, Macedónia, diplomada em dança clássica no Ballet State School in Mazedonien. Segue posteriormente um estudo de 3 anos de dança moderna na Salzburg Experimental Academy of Dance (SEAD) Áustria. Realça como primeiros trabalhos a colaboração com a coreógrafa Susann Quinn e contratos com o Salzburger Festspielhaus. Entre 2004 e 2005 trabalha como assistente coreográfica de Ori Flomin e João da Silva.
Marijana Savovska é desde a época de 2005/2006 parte integrante da companhia do teatro Stadttheater Hildesheim seguindo a direcção artística do coreógrafo Carlos Matos onde permanece até 2007.
Desde o Verão de 2008 vive e trabalha como artista independente em Berlim com várias companhias entre as quais a companhia "Oficina Dos Sentidos" do coreógrafo Carlos Matos.

Marie Schmieder, nascida em Berlim desde de tenra idade que seguiu um treino intenso e posteriormente fez carreira em ginástica rítmica. Em 2003 decide-se por uma educação de dança de 4 anos na academia ArtEZ Danseacademie Arnheim na Holanda. Logo após a sua formação e ainda na Holanda teve a oportunidade de trabalhar com vários coreógrafos como Tony Verzich, Jeanne Yasko e David Zambrano. De 2006 a 2009 foi parte integrante da companhia de dança do teatro de St. Gallen na Suíça onde trabalhou em criações de vários coreógrafos como Philipp Egly, Nick Hobbs e Stijn Celis. Desde o Verão de 2009 vive e trabalha como artista independente em Berlim com várias companhias entre as quais a companhia "Oficina Dos Sentidos" do coreógrafo Carlos Matos.

Fábio Liberti, nascido em Torino, Itália absorveu a sua educação de dança na Rotterdamse Dansacademie e na Scuola Balletto di Toscana e di Opus Ballet. Ainda em Itália foi membro do Balletto Teatro di Torino e da companhia de musicais Compagnia delle Coincidenze.
Em 2005 foi membro integrante da companhia de dança holandesa Conny Janssen Danst actuando como bailarino por toda a Holanda, Espanha, e em Marrocos. Fábio Liberti foi desde a época 2005/2006 parte integrante da companhia do teatro Stadttheater Hildesheim seguindo a direcção artística do coreógrafo Carlos Matos. Durante este período teve também a oportunidade de trabalhar com vários coreógrafos entre os quais, Jean Renshaw e Benvindo Fonseca. De 2007 a 2009 integrou a companhia de dança do teatro de St. Gallen na suíça onde trabalhou em criações de vários coreógrafos como seja Philipp Egly, Nick Hobbs e Stijn Celis. Desde o Verão de 2009 trabalha como artista independente em Berlim com várias companhias entre as quais ?Oficina Dos Sentidos? do coreógrafo Carlos Matos.

ACTA - Estrutura Financiada pelo Ministério da Cultura/Direcção-Geral das Artes

Local:
Vários Locais (vêr datas)

Data de início:
02 de Julho de 2010

Data do fim:
10 de Julho de 2010

Ficha técnica:



Calendário

 Abril | Maio | Junho 

D S T Q Q S S
      
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
     

Pesquisa


Login

Brevemente disponível

Newsletter

Brevemente disponível


Rodapé

© Direção-Geral das Artes, todos direitos reservados.

  • Logo Ministério da Cultura
  • Logo Instituto das Arates
  • Logo Programa Operacional da Cultura
  • Bandeira da União Europeia
  • Símbolo de conformidade nível AA das Directrizes de Acessibilidade Web
  • Símbolo de Acessibilidade à Web[D]