DGArtes - Agenda Online

Header Gestão Electrónica de Concursos

Acessibilidade


imprimir

"Sabina Freire" | de Manoel Teixeira-Gomes

Em Sabina Freire, sejamos claros, estamos numa verdadeira luta de cabeças. E essa luta é uma luta de fêmeas! As mulheres mandam. Os homens fazem parte do universo dos fantoches (o bando, como lhes chama Sabina). Mesmo quando Júlio se atreve a abandonar a dor de cabeça para o confronto derradeiro com Sabina, o resultado é ficar finalmente a conhecê-la. Se analisado na época em que foi escrita e se analisado hoje, passados quase 100 anos, deslumbramo-nos (se ainda nos soubermos deslumbrar) com o material Sabina, que Teixeira- Gomes nos legou. Nós, portugueses, tão velhos como afirmamos e tão incapazes de nos descobrirmos na modernidade que transportamos. Tão ciosos das nossas vitoriazinhas morais, tão mesquinhos e fanfarrões, tão capazes de cuspir para o ar e tão invejosos da saliva dos vizinhos, "espreitas" profissionais, serventuários sem espinha, intrujões na autoestima e portadores no adn de ontológico sentimento de inferioridade congénito, fomos e somos "vistos à lupa" pela cabeça de Teixeira-Gomes. Continuamos um povo em ruínas, em que o Castelo de Silves como diz Sabina, é "a sua mais nobre ruína, a sua única ruína histórica", pensa ela, " nesta região só abundam monumentos e ruínas nos corações e nas almas! E no entanto eu levo daqui a impressão de uma terra luminosa, onde tudo sorri"... Se eu a povoasse de novo e a meu jeito podia ser feliz vivendo nela..."é, quiçá, um bom exemplo. Pouco ou nada mudou de relevante entre o tempo da escrita de Sabina e o tempo em que a vamos representar. E aí reside a grandeza do Autor e a pequenez dos "observados". Por isso Sabina antes da partida dispara ainda " Excluía a gente velha: crisol do egoísmo sem graça; os padres: e talvez os poetas líricos da espécie do Júlio."
Fim da espécie de sinopse.
Rui Madeira

| FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA |


Encenação: Rui Madeira
Actores da CTB:
Solange Sá (Sabina Freire)
André Laires (Júlio Freire)
Jaime Soares (Dr. Fino)
Carlos Feio (Padre Correia e Procurador Ferreira)
Thamara Thaís (Cristina)
Actores d'A Escola da Noite:
Sílvia Brito (Maria Freire)
António Jorge (Augusto César e Ministro)
Ricardo Kalash (Epifânio)
Miguel Magalhães (Josezinho Soares)
Lina Nóbrega (Josefina)
Cenografia: Rui Anahory
Figurinos: Sílvia Alves
Desenho de Luz: Fred Rompante
Criação de Som e Imagem: Luís Lopes
Criação Gráfica: Carlos Sampaio
M/12

Estrutura Financiada pelo Ministério da Cultura/Direcção-Geral das Artes

Local:
Teatro da Cerca de São Bernardo, Coimbra

Data de início:
19 de Novembro de 2009

Data do fim:
03 de Dezembro de 2009

Ficha técnica:



Calendário

 Abril | Maio | Junho 

D S T Q Q S S
      
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
     

Pesquisa


Login

Brevemente disponível

Newsletter

Brevemente disponível


Rodapé

© Direção-Geral das Artes, todos direitos reservados.

  • Logo Ministério da Cultura
  • Logo Instituto das Arates
  • Logo Programa Operacional da Cultura
  • Bandeira da União Europeia
  • Símbolo de conformidade nível AA das Directrizes de Acessibilidade Web
  • Símbolo de Acessibilidade à Web[D]