DGArtes - Agenda Online

Header Gestão Electrónica de Concursos

Acessibilidade


imprimir

"Diversidade" é o tema da edição deste ano do Festival de Almada, que apresenta 29 espetáculos até ao próximo dia 18 de julho

A 33.ª edição do Festival de Almada, que arrancou no dia 4 de julho, é dedicada à diversidade das várias expressões artísticas e propostas estéticas. O programa conta com a apresentação de 29 espetáculos até ao próximo dia 18.

Segundo Rodrigo Francisco, diretor artístico do Festival, "olhando para estes 29 espetáculos apresentados em 15 dias, se não nos focássemos na referida diversidade não conseguiríamos relacionar, por exemplo, a linguagem beckettiana da coreógrafa Maguy Marin com o flamenco de Mercedes Ruiz; ou o pós-dramatismo de Falk Richter com a devoção à literatura de Thomas Ostermeier; ou a consagração de Joël Pommerat com a juventude e a irreverência dos jovens incluídos no ciclo O Novíssimo Teatro Italiano."

Aqui ficam algumas propostas: "A Lição", de Eugéne Ionesco, com encenação de Miguel Seabra, uma criação do Teatro Meridional (amanhã, dia 8, às 22h00, no Palco Grande da Escola D. António da Costa); "Cimbelino", versão cénica de Luísa Costa Gomes do texto de William Shakespeare, com encenação de António Pires (dia 16, no mesmo local); "Ricardo III", com direção artística de Tónan Quito (dias 17 e 18, no Teatro Municipal Joaquim Benite); "Hotel Lousiana quarto 58" - criação, dramaturgia e encenação de João Samões a partir da vida e obra de Albert Cossery - (dia 16, às 18h00, no Fórum Romeu Correia); "Graça - Suite Teatral em três movimentos", a partir de textos de Graça Morais, António Tabucchi e Carlos J. Pessoa; "Otelo, variação para três actores", de Olivier Saccomano, com direção de Nathalie Garraud, uma criação da Compagnie du Zieu (dias 11, 12 e 13 na Incrível Almadense); "Housewife", de Esther Gerritsen, com encenação de Morgane Choupay (dia 13, às 22h00, no Palco da António da Costa); "O Terror e a miséria (não só) no Terceiro Reich", com dramaturgia e encenação de Jesús Garcia Salgado a partir do texto de Brecht (dia 14, às 21h00, no Teatro da Trindade); "A Conferência dos Pássaros" de Farid Ud-Din Attar, texto apresentado pela primeira vez em Portugal em 1980 no Antigo Convento do Beato, numa encenação de Peter Brook (dia 17, às 18h00, também no Teatro da Trindade); "Susn", de Herbert Achternbusch, outra encenação de Thomas Ostermeier (dias 14 e 15, no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém) e "Pinóquio", pela Compagnie Louis Brouillard, com encenação de Joel Pommerat (dias 15 e 16, no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém).

Destaque ainda para "Um museu vivo de memórias pequenas e esquecidas", para ver hoje, amanhã e dia 10, no Teatro Estúdio António Assunção. Este projeto performativo de Joana Craveiro (Teatro do Vestido) teve, na sua origem, uma "pesquisa sobre algumas das memórias da história recente de Portugal, numa perspetiva histórica, política e afetiva, e com base em testemunhos de pessoas comuns".

----

Organização: Companhia de Teatro de Almada e Câmara Municipal de Almada
Diretor artístico: Rodrigo Francisco

----

PROGRAMA

O programa detalhado pode ser consultado em
www.ctalmada.pt/festivais/2016/programa_festival_2016.pdf

MAIS INFORMAÇÕES

www.ctalmada.pt




















Local:
Almada

Data de início:
04 de Julho de 2016

Data do fim:
18 de Julho de 2016

Ficha técnica:



Calendário

 Março | Abril | Maio 

D S T Q Q S S
    
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
 

Pesquisa


Login

Brevemente disponível

Newsletter

Brevemente disponível


Rodapé

© Direção-Geral das Artes, todos direitos reservados.

  • Logo Ministério da Cultura
  • Logo Instituto das Arates
  • Logo Programa Operacional da Cultura
  • Bandeira da União Europeia
  • Símbolo de conformidade nível AA das Directrizes de Acessibilidade Web
  • Símbolo de Acessibilidade à Web[D]