DGArtes - Agenda Online

Header Gestão Electrónica de Concursos

Acessibilidade


imprimir

Dentro das palavras | Rui Catalão | Atelier Real

"Durante o Outono de 2008 e Inverno de 2009, apresentei oito pequenas cenas improvisadas em Miercurea Lejera - um programa semanal realizado no CNDB (Centro Nacional de Dança em Bucareste), dedicado a pequenas experiências performativas. A minha proposta consistia em entrar em palco sem saber o que fazer, partilhando depois com o público o contexto que nos era comum, a lógica de construção e o processo de escrita da performance.
Por ocasião da primeira dessas cenas improvisadas, duas decisões a que fui alheio haveriam de definir a identidade das restantes sete. Não sabendo o que eu iria apresentar, os organizadores limitaram-se a escrever "Rui" no fim da lista de participantes do programa; dado o carácter inesperado da proposta (ignorava-se, por exemplo, a duração), optaram também por a minha apresentação ser a última.
O nome, "Rui", aliado ao facto de estar sozinho em palco, sem preparação, fez-me imediatamente pensar num auto-retrato. Não o auto-retrato de Rui Catalão, mas o auto-retrato do "Rui" que se apresentava à frente do público, no presente, ainda sem passado nem futuro. O que viesse a desenvolver-se daí para a frente (uma recordação que fosse) teria de partir dos condicionalismos emocionais daquele momento, sem contemplações para com o sentido de verdade inerente à personalidade, ao carácter ou ao comportamento habitual de "Rui Catalão".
A palavra inglesa character significa personalidade e personagem. Se imaginarmos um solo intitulado My character, estão criadas as condições para uma peça que pode consistir num retrato psicológico na primeira pessoa (quem sou), mas também denunciar o dispositivo fictício (o que represento). Na língua portuguesa, personalidade e personagem, tal como ser e representar, são termos antitéticos. O objectivo deste trabalho é apagar a linha que os separa." Rui Catalão

Agradecimentos: Mihaela Dancs, edi Gabia e Maria Baroencea, Cármen Cotofana, Folrin Flueras, Paul Dunca, Iuliana Stolanescu, Paulo Lopes, Miguel Matos, João Samões, Tânia Guerreiro, Sara Goulart, Magda Bull, Joana Calhau, Assunção Silva, Fátima Bento, Rosa Rocha Pinto

Rui Catalão
O trabalho de Rui Catalão tem-se caracterizado pela diletância. Em Portugal, assinou apenas uma peça:Elogio da classe política portuguesa (ZDB, 2004); Untitled, Still Life (ZDB, 2009) é uma colaboração com o casal João Galante e Ana Borralho. Na Roménia, apresentou Atît de frageda (2006), Coada soricelului (2007) e Follow that summer (2008), fazendo ainda as séries de improvisação Acum totsi împreuna e Rui (Centrul National al Dansului Bucuresti).
Jornalista e crítico do Público (1994-1999), iniciou em 2000 uma colaboração formativa com o coreógrafo João Fiadeiro, que culminou na peça Existência. Trabalhou ainda com Miguel Pereira (Portugal), Brynjar Bandlien (Noruega), Mihaela Dancs, Manuel Pelmus e Madalina Dan (Roménia). No cinema, é co-autor dos argumentos O capacete dourado (2008) e Morrer como um homem (2009). Como actor participou em A cara que mereces (2006).



(c) fotografia de ensaio - Paulo Lopes. DR.

Atelier Real
Rua Poço dos Negros 55 - Lisboa

http://www.atelier-real.org


Estrutura Financiada pelo Ministério da Cultura/Direcção-Geral das Artes

Local:
Atelier Real | Rua Poço dos Negros 55 - Lisboa

Data de início:
01 de Fevereiro de 2010

Data do fim:
20 de Fevereiro de 2010

Ficha técnica:



Calendário

 Março | Abril | Maio 

D S T Q Q S S
    
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
 

Pesquisa


Login

Brevemente disponível

Newsletter

Brevemente disponível


Rodapé

© Direção-Geral das Artes, todos direitos reservados.

  • Logo Ministério da Cultura
  • Logo Instituto das Arates
  • Logo Programa Operacional da Cultura
  • Bandeira da União Europeia
  • Símbolo de conformidade nível AA das Directrizes de Acessibilidade Web
  • Símbolo de Acessibilidade à Web[D]