DGArtes - Agenda Online

Header Gestão Electrónica de Concursos

Accessibility


print

História da Ilha do Tesouro de Stevenson | Art'Imagem

Sinopse -"...Passaram-se dez anos sobre as acontecimentos narrados por Robert L. Stevenson no seu famoso livro "A Ilha do Tesouro". Long John Silver, o temido pirata, é agora proprietário da "Taberna Perna de Pau" no Porto. A cidade vive ainda o rescaldo do "revolta dos taberneiros" e as águas do Douro invadem as ruas da Ribeira em mais uma das suas cíclicas cheias. Jim Hawkins, o rapaz da novela, é hoje capitão da marinha real britânica e está ancorado na cidade invicta. Os dois encontram-se e revivem acaloradamente as suas aventuras, zangas e traições e o destino do tesouro, cuja principal parte, segundo o pirata, ainda está escondida na Ilha. O antigo pirata da perna de pau tenta convencer Jim a voltar a Ilha..."

A acção começa a bordo da escuna portuguesa Neptuno, ancorada na cidade do Porto. Uns dias antes, Jim Hawkins vira dois oficiais da sua tripulação detidos pelas autoridades portuguesas, acusados de envolvimento numa revolta dos taberneiros contra o monopólio de venda do vinho do Porto decretado pelo Marquês do Pombal. Em busca de uma testemunha que ilibasse os seus homens, Jim vai à Taberna do Perna de Pau, nela encontrando o pirata Long John Silver, que de imediato reconheceu como aquele que, anos antes, se infiltrara numa expedição em busca do tesouro do célebre Capitão Flint - a história contada em livro pelo ilustre Robert Louis Stevenson...

| FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA | texto de Jorge Louraço Figueira (a partir da obra de Robert L. Stevenson) encenação: José Leitão interpretação: Flávio Hamilton e Teresa Alpendurada música original e sonoplastia: Carlos Adolfo figurinos: Fátima Maio desenho de luz: Leuman Ordep esgrima: Filipe Rocha Melo espaço cénico: José Leitão e José Lopes 93ª produção do Teatro Art? Imagem Sobre o Autor: Jorge Louraço Figueira é autor das peças «O Espantalho Teso», «Xmas qd Kiseres» e de ?Verás que é tudo verdade?, livro comemorativo dos dez anos da companhia de teatro Folias (S. Paulo, Brasil). Formado em Relações Internacionais e em Antropologia Social, estudou dramaturgia com Antonio Mercado, no Dramat/TNSJ; com Sanchis Sinisterra, no Teatro Nacional Dona Maria II; e na residência internacional do Royal Court Theatre. Coordenou a MAD 2009 ? Mostra Anual de Dramaturgia, organizada pelo Teatro Art? Imagem e integrada no ?Fazer a festa ? festival internacional de teatro? É crítico teatral do jornal Público e docente da ESMAE, da Escola Superior Artística do Porto e do Balleteatro Escola Profissional. Sobre Robert L. Stevenson: Nasceu em Edimburgo, capital da Escócia, em Novembro de 1850 e morreu em Apia, na Ilha de Samoa, em 1894. Engenheiro contrafeito, advogado negligente, embarcadiço e entusiasta de proezas desportivas, mesmo quando a precária saúde o aconselharia a outros ritmos, Stevenson conheceu o sucesso literário em 1883, por ocasião da edição de A Ilha do Tesouro escrita para o seu enteado, uma criança de 12 anos. Inicialmente intitulada The Sea Cook, a acção desta novela inicia-se na Inglaterra do século XVIII, quando o pobre Jim Hawkins, órfão de pai e mãe, vê a sua vida alterada ao receber das mãos de um velho pirata um enigmático mapa com instruções para a localização de um tesouro depositado nas areias das Caraíbas. Com este romance Stevenson forjou o mito do pirata da perna de pau e papagaio no ombro - o Long John Silver - que doravante passaria a dominar o imaginário das aventuras de piratas. este êxito seguiram-se O Estranho Caso do Dr. Jekyll e Mr. Hyde (1884) - inquietante viagem ao mundo das profundidades, quase adivinhando o próximo advento da moda freudiana -, a Flecha Negra (1885) e Raptado (1886), obras que passaram à posteridade ofuscando a demais produção de um autor cuja actividade se repartiu pelo teatro, pela crítica e pela poesia. Em 1873, após concluir os estudos na faculdade de Direito de Edimburgo muda-se para Londres, libertando-se do seu ambiente familiar, marcado por um clima coercivo e pela moral e religiosidade puritana. Frequenta os salões literários e pouco tempo depois parte para uma longa viagem pela Europa. Em 1876 conhece a sua futura mulher, uma norte-americana com quem viria a casar em 1880, em São Francisco, Estados Unidos. Volta então novamente a Inglaterra com sua mulher e o enteado. No ano seguinte é internado em Davos, Suiça, para tratar uma tuberculose que há anos o incomodava. Com a morte do pai em 1887 regressa aos Estados Unidos, continuando os tratamentos da sua doença. Um ano depois aventura-se num veleiro por diversas ilhas do Pacífico-Sul com a esposa e o enteado. Apaixonado pela paisagem paradisíaca passa a viver em Apia, nas Ilhas Samoa, até à sua morte. Aí escreve as suas últimas obras: Nos Mares do Sul e Weir of Hermiston (inacabada). (fontes: Biblioteca Nacional e Wikipedia)

Local:
Auditório da Quinta da Caverneira (Águas Santas, Maia)

Data de início:
26 de Fevereiro de 2010

Data do fim:
20 de Março de 2010

Ficha técnica:



Calendar

 September | October | November 

S M T W T F S
     
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
      

Search


Login

Brevemente disponível

Newsletter

Brevemente disponível


Footer

© Direção-Geral das Artes, all rights reserved.

  • Logo Ministério da Cultura
  • Logo Instituto das Arates
  • Logo Programa Operacional da Cultura
  • Bandeira da União Europeia
  • Símbolo de conformidade nível AA das Directrizes de Acessibilidade Web
  • Web Accessibility icon[D]